TATUAGEM: MARCAS ESPIRITUAIS

VERA LÚCIA MARINZECK DE CARVALHO



Estudo muito a Doutrina Espírita, já li diversos livros que a senhora psicografou. Porém, tenho ainda muitas dúvidas e uma delas é a respeito da tatuagem, pois tenho uma em meu corpo. Quando desencarnamos, a tatuagem causará algum prejuízo ao perispírito? Em futura reencarnação poderemos nascer com algum problema de pele por causa dela? M. A., São Paulo – SP.



É isso mesmo, prezado leitor, continue estudando a Doutrina Espírita. Por intermédio de seus ensinamentos é que temos uma compreensão maior sobre a vida, que é una. Vivemos em estágios: aqui no planeta físico encarnados e na espiritualidade desencarnados.


Não há razão para preocupar-se com essa tatuagem. Você tatuou o corpo físico. Marcamos negativamente nosso espírito com nossos atos e pensamentos, não com tatuagens. Boas ações nos harmonizam, provocando reações de alegria. Tudo que é harmônico é bonito, radiante, sadio. Atitudes maldosas nos fazem mal, desarmonizam-nos, causando doenças e desequilíbrios espirituais.


São nossas atitudes diante da vida e do próximo que marcam o nosso espírito, e, conseqüentemente, o nosso próprio destino. A vida terrena deve servir ao aperfeiçoamento moral, que alcançamos graças ao corpo físico, que enfrenta as necessidades deste mundo. Devemos, durante a vida presente, procurar vencer o egoísmo, raiz de todos os males que atingem a humanidade.


Para vence-lo, devemos seguir o exemplo de Jesus, que é todo amor e caridade. Quando encarnado entre nós, Jesus exemplificou esse amor, sobre o qual devemos edificar nossa vida, buscando nossa felicidade e realização espiritual.


Depois da morte do corpo físico, retornaremos ao mundo dos espíritos, o qual deixamos apenas temporariamente. Não perderemos nossa individualidade, nem a aparência que tivemos na última encarnação, guardada em nosso perispírito, nosso corpo espiritual, que sobrevive à perda do corpo material.


Levaremos conosco apenas a lembrança da encarnação que deixamos para trás, doce ou amarga, de acordo com os nossos atos. A vida do corpo físico é transitória, a do espírito é eterna. Sendo assim, a tatuagem aponta alguma coisa sobre a personalidade da pessoa, que se expressa por intermédio das imagens escolhidas.


Para aqueles que estão pensando em se tatuar, recomenda-se refletir bem antes de submeter-se a essa intervenção. Tratando-se de um modismo, poderemos, um dia, mudar de opinião, e a remoção da tatuagem é muito trabalhosa.


Aquele que está realmente decidido a tatuar-se, deverá recorrer a um profissional competente, garantindo com essa providência a integridade de seu corpo físico, evitando submeter sua saúde a riscos desnecessários.


Se você fizer uma tatuagem e fixar nela algo negativo ou simplesmente achar que faz parte do seu corpo, ao desencarnar poderá tê-la gravada em seu perispírito. Se merecer um socorro, os bons espíritos poderão removê-la pelo simples ato de sua vontade.


Quanto a levá-la como mancha ou marca para uma futura encarnação, é muito difícil. Como dissemos, levamos nossas tendências, somos herdeiros de nós mesmos.


Quando uma pessoa reencarna com marcas no corpo, os motivos podem ser vários. Se for espiritual, é por algo que marcou esse espírito de forma profunda.


Faça o bem, meu caro jovem. Preocupe-se em levar para o plano espiritual a harmonia que o bem nos faz.


Leia o livro “A mansão da pedra torta” (São Paulo: Petit Editora), que me foi ditado pelo Espírito Antônio Carlos. Verá, nesse romance, como um garoto trouxe bem marcadas em seu corpo as conseqüências de suas atitudes do passado. Felicidade.

Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho 


.