ào.

.

VALSS

.

Permitam-me esta reflexão, mas venho sentindo isto há anos… é um desconforto grande e fico confusa.

Sendo cristãos, egressos de outras religiões, ainda estamos contaminados com os rituais da “Semana Santa”, aí vamos “virando” espíritas e vamos abrindo mão de alguns e outros não!

Deixamos de comer carne no dia de hoje (faz tempo que não valorizo isto, embora não devesse comer carne dia nenhum do ano, escolher só hoje não é hipocrisia?), em compensação, a Páscoa de excessos gastronômicos se estendeu e começa na sexta feira? E o jejum? Não o jejum imposto pelas religiões, o de privação de comida, mas um comportamento de jejum, de equilíbrio, reflexivo, que é um comportamento oposto a este de prodigalidade de alimentação, de bebida, de nenhuma meditação pelo sentido que envolve este dia, que hoje é somente um feriado prolongado para a gente aproveitar…

Não faço apologia ao culto da crucificação, que o espiritismo também me livrou deste dogma!

.

jsol1

.

Recebi hoje de uma amiga evangélica um post com a foto de uma cruz, que dizia assim: “Pensava que o amor tinha forma de coração, mas ele tem forma de cruz!” De imediato respondi: Prefiro continuar a ver o amor em forma de coração, porque a cruz pra mim representa sofrimento, intolerância e maldade, nunca representação de amor!

Meu Jesus não está no madeiro, está vivo como sempre esteve, governando o meu planeta e bem ocupado com este período de transição que insistimos em atrapalhar com nossa materialidade!

Fica bem claro a necessidade do reencarne de outros espíritos bem mais evoluídos e sublimados que nós, para realizarem esta transição!

Quando tomamos consciência que Francisco de Assis foi convocado por Jesus a reencarnar, juntamente com a sua equipe, para vir ajudar neste processo, aumenta a minha certeza de que Jesus segue seu plano, apesar da confusão que estamos vivendo neste nosso mundinho.

.

jfran

.

Não preciso mais ir a igreja hoje, para cumprir um ritual “higiênico”, embora vá ao centro hoje porque tenho estudos ordinários, não preciso deixar de comer carne hoje, mas sei que preciso evoluir e fazer disto cotidiano em minha vida, não preciso fazer cara de triste porque é um dia de culto ao sofrimento, mas preciso cultuar dentro de mim um sentimento de gratidão imenso a este irmão maior, que sem precisar, aceitou reencarnar para exemplificar “na carne” para nós, que não entenderíamos somente no discurso, que sua morte não aconteceu para me salvar no sentido que aprendi.

Que com este desencarne, ele não me limpou dos meus pecados, mas me deu uma lição de generosidade, me mostrou o caminho, o roteiro para que eu mesma me livre dos meus erros, um manual de conduta que dá total significado e compreensão de tudo o que passo nesta existência e me devolve a chave desta salvação em forma de “responsabilidade”.

Essa luta diária contra as minhas doenças morais dão um imenso sentido à minha vida, mas é quando olho pro outro e faço algo por ele, que tenho eficácia nessa luta!

Que coisa perfeita meu Deus! Preciso do outro até para me ver!

E sigo refletindo nesse desconforto da citação inicial, vendo nos grupos as postagens de “Feliz Páscoa”, fotos de pratos maravilhosos de bacalhau, com mesas fartas e fico pensando sobre o que estas pessoas estão pensando nestes momentos? Que desculpas estão se dando? Ou será que nem pensam?

.

jesuscri

.

Gosto dessa nossa doutrina que nos estimula a pensar e refletir muito sobre as coisas da vida e sobre nosso comportamento diante delas. Lembro que quando não tinha religião, embora sofresse influência do aprendizado do catolicismo, não tinha dilemas desses. Nada como cometer um erro e pedir perdão “com fé e verdadeiramente arrependido” que já de imediato fosse “zerada” pelo meu “mordomo”!

Desculpas como “sou humana” não me amparam mais, e isto é muito mais difícil, porque nem posso fingir que não tenho recursos porque outros fizeram e eu sei que também não foi fácil para eles, tenho é a certeza que tiveram mais fé e mais vontade que eu!

Essa cobrança por compreensão e coerência me estimulam! Graças por esta Doutrina que me faz pensar, que me faz querer ser melhor! 

Que me faz perguntar agora a mim mesma: E eu? O que posso fazer de diferente do que sempre fiz?

Que este seja um dia em que lembramos de como Jesus permitiu que se cumprisse tudo da exata forma em que aconteceu, com um propósito! Sim, porque ele sabia exatamente o que passaria e em nenhum momento eu acredito que pediu para o Pai o livrar daquela morte, pelo simples fato de que estava em missão, e não em uma encarnação de provas e expiação!

Sabia de tudo, concordou e não tentou escapar em nenhum momento, Sabia que esta seria uma maneira muito forte de nos dizer:

“Prestem atenção aos meus ensinamentos porque eles te salvam!”

Obrigada Amado Mestre Jesus, meu Modelo e Guia!

.

valtch

* AS IMAGENS SÃO ESCOLHA E RESPONSABILIDADE 
DE BRUNO TAVARES

.

brunooyellowMeus queridos amigos e irmãos, eis aqui um artigo da querida psicóloga espírita Valéria Pessoa, trabalhadora da nossa querida Associação Espírita Casa dos Humildes, de Recife-PE. Valéria é uma de minhas diletas amigas, com quem tenho uma sintonia quase mediúnica, se não deva tirar o quase daí, pois conversamos sobre algo ou alguém e logo em seguida aparece alguma novidade relativa a tal fato ou pessoa, isto já se dando por várias e várias vezes. Valéria aqui, em forma de desabafo, abre o escrutínio d’alma e revela suas reflexões, com uma lucidez única, toda dela, sobre o sentido verdadeiro da páscoa, convidando a todos a uma postura mais condizente, para muito além da mesa lauta, dos pratos pantagruélicos, lembrando do respeito devido ao Nosso Mestre, O Senhor dos Espíritos, a saber: Nosso Senhor Jesus Cristo!

Que Jesus abençoe a ti, Valéria, alma linda, por abrires o teu coração nesse libelo de amor!

Que Jesus abençoe a todos nós!

Bruno Tavares

.

.

A MENSAGEM DE HOJE DE BRUNO

.

.

ceee

 

 .
.

 chverdec1

.

QUADRO DO PINTOR PERNAMBUCANO

ANTÔNIO CARLOS CASTANHA TAUA GOMES

abrunofclarablogbrilho

.

Francisco e Clarinha de Assis

Patronos deste Blog

.

fcc

.

.

.brunovg

carinha chn

.

.

cqchcc