.

beauchoa

.

Ela só tem 17 anos, mas é daquelas meninas que desde novas já sabem o que querem. Foi depois de uma cirurgia para retirada da vesícula, em 2016, que a vida da estudante Beatriz Uchôa ganhou um novo sentido. Ao se ver diante de algumas restrições alimentares, a jovem resolveu ir pessoalmente para a cozinha, começou a pesquisar tudo o que podia sobre nutrição, passou a criar pratos saudáveis e saborosos e descobriu um novo estilo de vida: desde janeiro deste ano Beatriz se tornou 100% vegana.

E nessa “brincadeira” de pesquisar e criar comidas gostosas com ingredientes veganos, ela se apaixonou pelo tema e terminou inventando uma linha de queijos à base de vegetais. Depois disso, criou uma marca – Vegstuff –, divulgou nas redes sociais (dela e dos pais dela) e em menos de dois meses já distribui seus produtos na feirinha orgânica de Aldeia, na loja Salud, no restaurante Pratus e no Garage Food Park (no Espinheiro, Recife-PE). E também faz entrega em domicílio!

“Quando comecei a desenvolver as receitas dos queijos, foi engraçado. Meu pai me via cozinhando e dizia que aquilo ‘era tudo, menos queijo’. E eu respondia que eram ‘coisas veganas’. Daí o nome Vegstuff, que significa coisas veganas em inglês”, explica Bia. No primeiro dia que resolvi botar nas redes sociais, já recebi um monte de encomendas e vendi mais de 30 queijos”, lembra.

.

LVEG

.

BOM E BARATO

Estudante do 2º ano do ensino médio, Beatriz conta que pretende fazer faculdade de Nutrição, “porque o que sei hoje é só um grãozinho do muito que ainda posso aprender na área”, e no futuro ser dona de um restaurante vegano onde funcione também um empório, para vender os produtos que ainda vai criar.

“Muita gente diz que ser vegano é coisa de gente rica, porque os supermercados realmente praticam preços injustificáveis. Eu aprendi que posso fazer em casa leite de arroz ou de inhame, por exemplo, dez vezes mais barato do que se vende no mercado”, conta Bia. Os queijos que ela faz, e cujas receitas são guardadas a sete chaves, levam cenoura, batata inglesa, inhame, feijão branco e chuchu. Saem nos sabores chedar (delicioso!), parmesão, leguminoso, firme, branco e firme amarelo. Vendidos em embalagens de 250g e 350g, custam entre R$ 6 e R$ 13.

.

UCHBEA

.

CONSCIÊNCIA

Depois de oito meses de veganismo, Beatriz diz que se sente muito mais limpa, física e psicologicamente. Ela tenta mostrar aos familiares e amigos as vantagens de uma alimentação vegana, mas sabe que ainda não é uma opção de vida das mais simples. Ela conta que faz pessoalmente sua própria comida, “menos o feijão, porque ainda não aprendi o ponto certo”, e tenta fazer os pratos mais parecidos com os que comia antes de se tornar vegana. “Ser vegano não significa comer só salada! Eu faço hambúrguer, bolos, queijos, como arroz, feijão e macarrão!”.

Ela conta que para a escola, leva sua própria quentinha; se vai a uma festa, tenta levar um prato; quando vai a uma pizzaria, leva seu queijo vegano e pede para montar a própria pizza. A uma churrascaria? Não vai! “Aí não vou, não me sinto confortável. Tenho dois gatos, Maria Amélia e Joaquim, e fico pensando que poderiam ser eles ali no lugar dos bois e porcos”, diz. “É uma questão de consciência!”.

No colégio estadual onde estuda, em Camaragibe, Beatriz chega a ser citada como exemplo, pelos professores, durante as aulas de empreendedorismo, pela iniciativa que teve de criar um produto e colocá-lo à venda. Além disso, ela gosta de falar, nos grupos da escola que discutem temas relativos ao meio ambiente, sobre os impactos ambientais que a pecuária causa, como o alto consumo de água e o uso da terra para pasto.

.

vegBEA

.

Nesse pouco tempo de ativismo, a menina aldeiense já conseguiu encabeçar um movimento “Segunda sem Carne” na escola, e acha que aos pouquinhos as pessoas vão se tornar mais conscientes sobre a importância de uma alimentação livre de produtos animais e dos perigos de se consumir alimentos ultraprocessados.

A jovem empreendedora adianta que está estudando receitas de iogurtes e probióticos feitos com quinoa (Rejuvelac), além de kefir e kombucha. Em breve, o mercado vegano aldeiense deverá ter novidades, fique ligado!

Para encomendar os queijos veganos, basta acionar Beatriz pelo zap: (081) 99622-6766. No Instagram: @vegstuff_pe 

.

Tatiana Portela é a jornalista e autora
dos textos do site PorAqui Aldeia.

tatiport1

.

brunooyellowMeus queridos amigos e irmãos, apesar de morar em Recife-PE eu não conhecia nem a Tatiana Vasconcelos, autora do artigo; nem a Beatriz Uchôa, a menina linda e conscienciosa retratada; quem me forneceu o texto foi a minha querida amiga, espírita e vegana do Rio de Janeiro-RJ, Paulinha Gampert, traçando o perfil dessa verdadeira espécime da Nova Civilização do Terceiro Milênio que aporta à Terra. A Paulinha conversa com a Beatriz e fez essa conexão para que saísse a publicação em nosso blog

Que Jesus abençoe você Bia e que seus caminhos sejam aplanados para o que viestes, querida florzinha

Que Jesus abençoe a todos nós! 

Bruno Tavares

.

.

.

VEGVIDA1

AS IMAGENS E VÍDEOS SÃO ESCOLHA E
RESPONSABILIDADE DE BRUNO TAVARES

.

.

ECOLIV

 .
.

 chverdec1

.

QUADRO DO PINTOR PERNAMBUCANO 

ANTÔNIO CARLOS CASTANHA TAUA GOMES

bfcblog1

.

Francisco e Clarinha de Assis

Patronos deste Blog

.

fcc

.

.

cqchcc